Crianças na puberdade dois anos antes, diz estudo

Meninos americanos estão entrando na puberdade cerca de dois anos antes que o registrado até então, mostra um novo estudo feito pela Universidade da Carolina do Norte e apresentado na Conferência Nacional da Academia Americana de Pediatria, em Nova Orleans.

A puberdade é um processo entre a infância e a adolescência marcado por mudanças fisiológicas e biológicas, que prepara o corpo para gerar filhos. Em geral, os médicos consideram puberdade precoce antes dos 8 anos no sexo feminino e antes dos 9, no masculino.

De acordo com a pesquisa, os garotos negros nos EUA estão se tornando adolescentes, em média, aos 9 anos, enquanto os brancos e hispânicos iniciam essa fase aos 10.

O estudo foi realizado entre 2005 e 2010 e envolveu pediatras em 41 estados. Os profissionais fizeram a medição dos testículos de 4 mil participantes (2 mil brancos, mil negros e mil hispânicos) entre 6 e 16 anos, pois esse costuma ser o primeiro sinal de mudanças. Os pais também foram entrevistados.

Em crianças de 6 anos, o aumento dos testículos foi visto em 20% dos negros, 9% dos brancos e 7% dos hispânicos. O aparecimento dos pelos começou cerca de um ano após os testículos crescerem.

Segundo a endocrinologista Cintia Cercato, do Hospital das Clínicas (HC) em São Paulo, nos meninos a puberdade ocorre com o aumento do pênis e dos testículos, o crescimento dos pelos pubianos, a primeira ejaculação, o engrossamento da voz e odor nas axilas.

Já nas meninas, essa etapa aparece com o aumento das mamas, o aparecimento dos pelos pubianos, a primeira menstruação (menarca) e um cheiro mais forte nas axilas. Em ambos os sexos, todo esse processo leva de dois a três anos para se completar.

"Esses dados, porém, não querem dizer que as crianças estão entrando na puberdade fora da faixa normal, apenas mais cedo que antes. Se a média era de 12 anos, agora passou para 10. Como está cada vez mais precoce, talvez passe a ser um padrão normal no futuro, mas hoje ainda não é. A ciência precisa analisar se isso pode ter prejuízos a longo prazo", afirma Cintia.

Alguns pesquisadores acreditam que o desenvolvimento do corpo do homem antes da hora possa aumentar o risco de câncer de testículo, mas uma análise recente não encontrou ligação.

Segundo a endocrinologista do HC, fatores como obesidade, problemas na glândula tireoide, alterações do sistema nervoso central e tumores no cérebro podem ativar uma puberdade antes do tempo. Além disso, os chamados "disruptores endócrinos" – substâncias presentes em plásticos, pesticidas e outros produtos químicos que se acumulam no organismo e exercem papel de hormônios – podem ter influência nesse processo.

"A etnia da pessoa, a genética e a questão ambiental também agem sobre a puberdade", acrescenta a médica.

Estudo com meninas
Outro trabalho recente com meninas aponta que, aos 7 anos de idade, 23% das negras, 15% das hispânicas e 10% das brancas tinham um aumento das mamas – o primeiro sinal da puberdade nelas. A taxa é consideravelmente maior que o reportado há dez anos.

A endocrinologista Dianne Deplewski, da Universidade de Chicago, diz que esses resultados, porém, podem estar enviesados, pois as famílias que levaram os filhos aos médicos já demonstravam preocupação com a saúde deles – o que não representa a média da população americana. Além disso, os profissionais não recrutados aleatoriamente, mas se ofereceram para participar.

Ainda assim, os dados disponíveis são os melhores até agora, destacou Dianne. No entando, segundo ela, esses resultados não devem ser usados para estabelecer um novo padrão de normalidade para o início da puberdade.



Fonte: Bem-Estar - Rede Globo