Engolir objetos pode causar parada respiratória

Crianças pequenas costumam ter diversos brinquedos e os pais precisam ter muito cuidado com as pequenas peças, as pilhas e as baterias, que são fáceis de serem aspirados ou engolidos.

 

Acidentalmente, a criança pode colocá-los na boca, no nariz ou no ouvido e isso pode causar danos como infecções, parada respiratória, pneumonia ou até mesmo a morte, como explica a pediatra Ana Escobar.

 

Segundo a otorrinolaringologista Dayse Manrique, a aspiração de objetos estranhos, seja pela boca ou pelo nariz, é a segunda maior causa de morte acidental em crianças com menos de 3 anos. Ao contrário das crianças, os adultos geralmente engasgam com pedaços de alimentos que não foram bem mastigados.

 

De qualquer maneira, os sinais que podem indicar que a pessoa está tendo um engasgo é: ela não fala, tosse muito, fica roxa e não respira. Além disso, também prende a garganta com as mãos.

 

Se ingerido, o objeto vai direto para o estômago e sai pelas fezes. Caso ele não saia, é indicada a endoscopia para retirá-lo.

 

Se aspirado, ele passa pela laringe, traquéia e brônquios e afeta as vias aéreas. Nesse caso, existe uma manobra que pode salvar a vida da pessoa porque faz a pessoa tossir e expelir o objeto. Dar água e fazer respiração boca a boca não é indicado porque pode empurrar ainda mais o objeto.

 

Para evitar que esses acidentes não aconteçam, principalmente no caso das crianças, é importante que os pais não ofereçam alimentos de risco e que prestem atenção na faixa etária indicada nos rótulos dos brinquedos.

 

Caso isso aconteça pelas vias aéreas, é importante que os pais não coloquem nada dentro do nariz para tentar retirar o objeto, orientem a criança a respirar só pela boca e a assuar o nariz. Se nada disso funcionar, é preciso procurar um médico.

 

Existe também o risco de bebês colocarem objetos no ouvido, mas essa situação é menos preocupante. No entanto, ainda pode causar infecção e machucar o canal auditivo.

 

Para socorrer a vítima, é indicado pingar uma ou duas gotas de óleo mineral (pode ser encontrado facilmente em farmácias) e virar a cabeça para que saiam o óleo e o objeto.

 

É importante alertar que os pais não pode bater na cabeça da pessoa ou colocar algo para tentar retirar o corpo estranho. Em casos mais graves, é preciso procurar um médico, que pode indicar a cirurgia para retirar o objeto.

 

Como socorrer?

É indicado ficar de pé atrás da vítima, que deve estar com a cabeça baixa. Com uma mão fechada, os médicos indicam dar quatro pancadas fortes no meio das costas e, com a outra mão, apoiar o peito da pessoa. Se ela continuar asfixiada, fique atrás com os braços ao redor da cintura dela, acima do umbigo e abaixo das costelas. Com as duas mãos juntas, dê um tranco para trás de uma vez.

 

No caso das crianças de colo, o procedimento é um pouco diferente. Para socorrer bebês, sente e coloque-o de costas em cima das suas pernas. Dê quatro ou cinco tapas nas costas da criança.

 

Se isso não funcionar, vire o bebê de frente e, com dois dedos, faça quatro compressões firmes no tórax, logo abaixo dos mamilos. Em seguida, é aconselhável fazer a respiração boca a boca e repetir as manobras anteriores até voltar a respiração. Se isso não acontecer, chame o socorro médico.

 

Fonte: Bem-Estar (Rede Globo)