Alimentação: um problema para 51% das mães

O seu filho não come direito? Em uma conversa rápida com outras mães na porta da escola, você tem a impressão de que ele não é o único? Um estudo acaba de comprovar que, sim, a queixa é verdadeira: 51% das mães brasileiras afirmam que têm dificuldade para alimentar os filhos. A pesquisa, que foi realizada com 984 mães de todas as regiões do Brasil pela Abbott Nutrition, mostra ainda que esse comportamento prevalece em crianças com idade entre 3 e 7 anos.

O estudo relaciona também os principais tipos de dificuldades que as mães encontram na alimentação das c. Das entrevistadas, 47% dizem que o filho não come toda a quantia oferecida, 43% apontam que ele não tem interesse na comida e 40% destacam que a criança come sempre os mesmos tipos de alimento. E tais problemas, como você também deve ter percebido naquela conversa na porta da escola de que falamos antes, preocupa 64% das mães. Mas ainda assim a maioria é otimista: 89% apontam a questão como uma fase temporária da infância.

Especialistas indicam que crianças em fase pré-escolar têm maior probabilidade de apresentar este comportamento. De fato, quando as crianças passam a ter mais autonomia, é comum que comecem a rejeitar alguns alimentos - e essa fase passa mesmo para a maioria delas. No início pode parecer normal, mas é preciso estar atento para definir se o problema persiste, pois a criança que come mal pode ter deficiências nutricionais. “Essa ‘desculpa’ pode esconder problemas alimentares mais graves e que, se perpetuados, geram situações nutricionais de difícil abordagem e tratamento”, diz o pediatra e nutrólogo Ricardo Barros.

Mas calma! Assim como acontece com outros problemas de comportamento, a melhor maneira para lidar com as dificuldades alimentares – e o tempo que isso vai levar para melhorar – pode variar entre as crianças. Seja paciente e, claro, conte com a ajuda do seu pediatra.


5 passos para o seu filho comer bem


- Organize os horários das refeições;
- Aprenda a entender os sinais de fome do seu filho; 
- Escolha alimentos saudáveis; 
- Crie o hábito de comer com a família sentada à mesa sempre que possível; 
- Ofereça rolex replica novos alimentos constantemente e repetidas vezes – até ter certeza de que a criança não gosta deles.