Bebês que dormem mamando: necessidade de sucção?

Muita gente já ouviu falar na famosa "fase oral" do desenvolvimento humano. Nesta primeira fase, a boca é nossa fonte de prazer e também o local por onde conhecemos o mundo. É através dela que nos alimentamos e entramos em contato com nosso primeiro objeto de amor, a mamãe.


 Mas isso não ocorre por acaso. Querer e precisar sugar o seio materno tem uma outra função muito importante, a de estimular a produção do leite. A natureza é sábia e fez o bebê querer sugar bastante pois assim é liberado um hormônio chamado oxitocina que aumenta a produção do leite.  Oxitocina também é o hormônio do vínculo e da amorosidade.


Sendo assim o bebê quando é amamentado está sendo alimentado tanto fisicamente como afetivamente, condição indispensável para uma boa noite de sono. A produção de leite varia, pois o bebê está em plena fase de crescimento. Mãe e filho compõe um sistema que precisa ser constantemente ajustado, num primeiro momento através da produção de leite, depois por toda a vida, pois estamos em constante desenvolvimento e mudança.
 Assim, é normal que a quantidade de leite também varie e em muitos momentos a mamãe pode perceber que não tem leite suficiente para amamentar seu bebê. Isso é perfeitamente normal, pois provavelmente o bebê cresceu e precisa de uma quantidade maior de leite. E agora?


 Agora é hora de levar o bebê ao seio e deixar ele mamar e mamar... Mesmo que você sinta o peito vazio,não tem problema, esse "mamar" vai estimular o corpo a produzir mais leite, mais afeto e também vai saciar a necessidade de sucção do bebê. Saciado de leite e também de amor, ele estará apto a dormir tranqüilo. Aos poucos, a cada nova mamada, conforme o peito vai esvaziando, o corpo vai entendendo que é hora de produzir mais leite e vai se adequando ao aumento da demanda.


 A amamentação requer muita paciência e calma. Nessa hora o papai é muito importante para atuar como ponto de equilíbrio e ajudar a mamãe a acreditar que amamentar é possível e que ela vai dar conta do recado, mesmo que em alguns momentos pareça que não...


Mas e quando o bebê transforma o peito em chupeta?


 Realmente existem momentos em que os bebês querem sugar e sugar e sugar a ponto de tornar a mãe escrava de seus desejos. Nesta hora também precisamos aprender a dizer não. Como seres humanos, nós também temos nossos limites, nossas necessidades pessoais e não podemos ficar totalmente a disposição do bebê 24h por dia durante dois anos ou mais.


 A dica dos especialistas é que durante os primeiros 6 meses, quando a amamentação é exclusiva, a mãe precisa realmente estar mais disponível, justamente para que o corpo consiga produzir o volume de leite compatível com o crescimento do bebê. Mas depois que as mamadas são pouco a pouco sendo substituídas por outras fontes de alimentação, a mãe também pode, pouco a pouco ir colocando esse limite no bebê.


 É um processo, um aprendizado contínuo. Mesmo tendo estudado tanto o assunto, todos os dias eu aprendo coisas novas com minhas filhas e com o mundo. Esse é o grande prazer da vida, poder aprender e crescer sempre, todos os dias!