Carnaval: pediatra alerta para cuidados

Para a especialista, é fundamental manter a criança bem hidratada


Durante o Carnaval, adultos e crianças querem se divertir. No entanto, os pais precisam ficar atentos aos pequenos, pois, além de  vulneráveis, ainda não são capazes de avaliar o risco. Lugares lotados, alimentação fora do horário e diferenciada, uso de fantasias e produtos na pele são situações que aparentemente não apresentam ameaça, mas podem ser perigosas.  


Para a pediatra Sonia Mesquita, em função do calor, o mais importante é manter a criança hidratada. Ela conta que o ideal é oferecer alimentos de fácil digestão como frutas, legumes e carnes cozidas. “Evite frituras e outros alimentos de rua, como cachorro-quente e churrasquinhos. Alimentos que possam ter ficado mal refrigerados, como iogurtes e sanduíches, devem ser evitados, pois podem estragar e trazer risco de intoxicação”, analisa.


A pediatra comenta que os pais devem vestir seus filhos com roupas ou fantasias leves e arejadas, evitando máscaras abafadas por longos períodos. Se usar tintas na pele, ela chama a atenção para um ponto essencial. “Teste a sensibilidade em uma pequena área para evitar reação alérgica e tenha cuidado ao expor a pele pintada ao sol, pois pode causar queimaduras”. E complementa: “Use calçados arejados, tipo sandálias, e evite botas de borracha ou plástico. Nunca deixe as crianças descalças pelo risco de contaminação e cortes com latas ou vidros”.


“Em relação à segurança, as viagens de carro devem ser feitas bem cedo. Nos blocos, praias ou outras aglomerações, mantenha a criança sob vigilância constante. Coloque uma placa de identificação presa na roupa do seu filho com os nomes da criança e dos responsáveis e números de telefones celulares. Nos bailes e blocos o som costuma ser muito alto. Por isso, as crianças devem ficar longe das caixas acústicas, pois a exposição prolongada a altos volumes pode causar sérios danos para a audição”, finalizou a pediatra Sonia Mesquita, que atua na Ami Personali.